Leitura: Serra, Raquel. Princípios do Design de Interfaces Aplicados à Busca

Terminei a leitura do TCC de Raquel Serra, que comecei ontem.

Alguns destaques que considerei interessantes:

“[Um modelo mental] Representa o processo de pensamento de uma pessoa para como algo funciona (ou seja, o entendimento do mundo ao redor). Modelos mentais são baseados em fatos incompletos, experiências passadas e até mesmo percepções intuitivas. Eles ajudam a moldar ações e comportamentos, influenciam o que será considerado mais relevante em situações complexas e definem como indivíduos confrontam e resolvem problemas.” (Carey, 1986, apud Weinschenk, 2010).

E: “Conhecer a maneira como os usuários pensam e agem diante de uma necessidade de informação permite o desenvolvimento de interfaces com as quais ele pode se identificar, tornando-as mais fáceis e úteis para ele.” (p. 34)

Essa questão do modelo mental me fez pensar que pode ser algo útil de eu tentar construir – talvez com grupos focais, como Eduardo Jorge sugeriu -, para entender melhor o processo de pensamento das pessoas quando estão buscando um serviço de delivery: o que levam acham mais importante para comparar, que informações querem ver primeiro, em quem confiam para tomar decisões etc.

Fatores de usabilidade, segundo Nielsen:

  • Facilidade de aprendizagem
  • Eficiência de uso
  • Facilidade de memorização
  • frequência e recuperação de erros
  • satisfação subjetiva
  • ergonomia

Listagem dos princípios do design de interação:

  • divulgação progressiva,
  • resposta imediata,
  • visualizações alternativas, previsibilidade,
  • reconhecimento sobre recuperação,
  • interrupção
  • mínima, manipulação direta
  • contexto de uso

Preciso aprofundar uma explicação sobre todos estes pontos, para o referencial teórico.

Entendimento geral: é um bom material introdutório para quem não está familiarizado com conceitos de usabilidade, design de interação e sua importância. Além disso, por ser focado na interface de sistemas de busca trouxe elementos interessantes para meu projeto, e já traz um exemplo de análise de interface – no caso, do Google. Fiquei com a sensação de que esta análise heurística do Google, no entanto, foi meio superficial – como se apenas alguns aspectos deste tivessem sido abordados, em cada princípio. Preciso atentar para isso quando for fazer minhas próprias análises.

Advertisements
Leave a comment

1 Comment

  1. 58 dias: Design of search user interfaces | Juliana Fajardini

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: