De desconstruções e instantes

Neste semestre da faculdade, nas aulas de tradução, a segunda avaliação que fiz foi para traduzir um poema atribuído a Acolmiztli Nezahualcoyotl, asteca pré-colombiano. Segue a versão que foi trabalhada na prova:

Truly do we live on Earth?
Not forever on Earth; only a little while here.
Although it be jade, it will be broken.
Although it be gold, it is crushed.
Although it be quetzal feather, it is torn asunder.
Not forever on Earth; only a little while here.

Acrescento à lista a tradução que fiz para a prova, guardadas as ressalvas de que era não nos foi dada contextualização do texto além do nome do autor, e a tradução foi feita em um ambiente no qual não podíamos fazer pesquisas acerca do texto, nem acessar dicionários variados, além de termos, claro, a limitação do tempo – muitos dirão desculpas, desculpas”. Bem, em alguma medida, sim xD

 

Vivemos nós verdadeiramente na Terra?
Não para sempre na Terra; aqui breves momentos, apenas.
Ainda que jade seja, será quebrado.
Ainda que ouro seja, é esmagado.
Ainda que a pluma do quetzal seja, é despedaçada.
Não para sempre na Terra; aqui breves momentos, apenas.

Quetzal

A ave quetzal vista voando na Guatemala, por fotógrafo cujo nome não resgatei ‘-‘

Acontece que este poema, que até onde consegui entender, era na verdade parte de um canto asteca (não li se sagrada, religioso, ou apenas de exaltação para os nobres da época), foi escrito em nahuatl, ou, aportuguesando, nauátle. E o que tem isto? Bem… esta é uma língua de escrita pictórica, então o modo de interpretar/traduzir algo é… enfim, inegavelmente, uma questão de interpretação, já que desenhos podem ser mais facilmente entendidos como uma nuvem de conceitos do que palavras.

A questão da dificuldade de traduzir poemas, a curiosidade com como seria ele escrito em sua “”língua original”” me fizeram hoje ir atrás de ver um pouco mais, até para tentar entender “discrepâncias de versões” que encontrei no inglês. Decidi compilar aqui o resultado, porque… Achei divertida a coisa, e quero quem sabe prosseguir nisto, em algum momento. Ao final do post listei as principais referências para as versões aqui listadas.

Durante a pesquisa, encontrei detalhes que me chamaram a atenção, e extrapolam talvez o nível do poema: o que me parecem ser adaptações (por exemplo, em um dos textos em espanhol, não temos a menção ao pássaro quetzal); na transcrição do nahuatl desta mesma versão, aparece um etcetera que não sei dizer se foi um erro de digitação, fruto do tédio ou erro de software de captura de imagem/texto. Acho que também encontrei umas adaptações de escrita das palavras, não apenas de semântica/ objetos.

Enfim, fica aqui salvo o resultado deste ímpeto de pesquisa madrugada adentro. Espero voltar a ele em algum momento, no mínimo para mostrar aqui o que me chamou a atenção entre as versões; e para tentar resgatar uma versão em nahuatl pictórico, não transcrito…

Yo lo Pregunto¹

Yo Nezahualcóyotl lo pregunto:
¿Acaso de veras se vive con raíz en la tierra?
Nada es para siempre en la tierra:
Sólo un poco aquí.
Aunque sea de jade se quiebra,
Aunque sea de oro se rompe,
Aunque sea plumaje de quetzal se desgarra.
No para siempre en la tierra:
Sólo un poco aquí.


 

Pensamiento²

¿Es que en verdad se vive aquí en la tierra?
!No para siempre aquí!
Un momento en la tierra,
si es de jade se hace astillas,
si es de oro se destruye,
si es plumaje de ketzalli se rasga,!No para siempre aquí!
Un momento en la tierra.


Truly do we live on earth?³

Not forever on earth; only a little while here.
Although it be jade, it will be broken,
Although it be gold, it is crushed,
Although it be quetzal feather, it is torn asunder.
Not forever on earth; only a little while here.


 

No para siempre en la tierra,⁴
sólo un poco aquí.
Aunque sea jade se quiebra,
aunque sea metal precioso se hace pedazos,
la pluma preciosa se rasga.
No para siempre en la tierra,
sólo un poco aquí.


Annochipa tlalticpac. Zan achica ye nican. Ohuaye ohuaye. Tel ca chalchihuitl no xamani, no teocuitlatl in tlapani, no quetzalli poztequi. Yahui ohuaye. Anochipa tlalticpac zan achica ye nican. Ohuaya ohuaya.⁵


Not forever on earth, only a brief time here! Even jades fracture; even gold ruptures, even quetzal plumes tear: Not forever on earth: only a brief time here! Ohuaya, ohuaya.⁵

 

Fontes dos textos (exceto o primeiro, pois não veio indicada, na prova):

¹ https://masdemx.com/2016/08/5-mejores-poemas-de-nezahualcoyotl/

² http://neomexicanismos.com/mexico-prehispanico/nezahualcoyotl-poemas-cortos-filosofia/

³ Aztec Thought and Culture: A Study of the Ancient Nahuatl Mind (acessado online em: https://books.google.com.br/)

http://www.historicas.unam.mx/publicaciones/publicadigital/libros/cantares/cm02/23_xx_aqui%20empiezan%20los%20cantos.pdf

http://www.famsi.org/research/curl/nezahualcoyotl2.html

Extra:

Onde também encontrei versões deste e de outros cantos de Nezahualcoyotl, traduzidas para o inglês por John Curl: http://www.red-coral.net/Hungry.html

Advertisements