[Avaliação Heurística] Compilação dos problemas e construção do questionário para classificá-los

Continuo travada na porcaria da atividade para priorizar os problemas encontrados na avaliação heurística. Foram muitos (algumas pessoas encontraram mais de 40, para se ter uma ideia), e me parece pouco factível colocar as pessoas pra classificar todos os problemas que todos encontraram, dentro do contexto do projeto – elas não estão sendo pagas, nem nada.

Também é um trabalho chato e, pra mim, difícil, juntar tudo o que todos pensaram em um conjunto coerente, que eu considere que as outras pessoas entenderão e conseguirão classificar. E isso tudo está me deixando emperrada. Empacada. Já perdi muito mais tempo do que devia, nessa etapa. Eu devia estar fazendo os questionários de usuários, e pensando como irei conduzir/gravar os testes de usuário de uma forma que seja razoável, depois, recuperar os dados necessários para o projeto.

Seja como for, tenho de encontrar uma solução para esses dilemas hoje, pois daqui a 5 dias os principais problemas precisam estar corrigidos, para que as pessoas possam testar a versão menos bugada do fazDelivery. Precisarei ser objetiva e criativa. Talvez não tenha como correr do questionário, nem que seja para eu mesma usar, pois alguma classificação e priorização se fazem necessárias, para saber o que atacar…

@#*@%#! Esse questionário é ilegível. Saco.

EDIT: dei-me conta, agora, que há pelo menos duas coisas que tenho de fazer, independentemente das classificações: i) destacar o que são erros (pois não posso apresentar erros graves para os usuários, se já os conheço); ii) percorrer todos os problemas, observando quais estão no escopo do que posso e pretendo fazer nesse projeto, pois é bem provável que algumas coisas escapem à ideia inicial e, tenho de ter claro – para mim, para o projeto – até onde irei…

Advertisements

Peer assessments, auto-avaliação e capacidade argumentativa.

Não lembro se já comentei diretamente aqui, mas, caso sim, vale reforçar: o curso de Gamificação, que estou fazendo através do Coursera, está tendo um ganho adicional inesperado pra mim.

A cada semana (até o momento) é necessário fazer as avaliações por pares, ou seja, dar notas para os exercícios escritos de outros colegas de curso. A avaliação consiste em ler 5 respostas de outros colegas, dar duas notas objetivas, uma por aspectos quantitativos e outra por aspectos qualitativos, e depois destacar o que você gostou e o que não gostou da resposta. As rubricas de cada nota objetiva são bem claras, então costuma ser fácil decidir que nota o estudante merece.

O grande ganho pra mim tem vindo na questão dos feedbacks abertos. Extrair de cada resposta pelo menos um aspecto positivo e um negativo, e, principalmente, justificá-los (para que não soem como algo arbitrário), tem me feito pensar muito, melhorar minha capacidade de análise e de argumentação. Como, depois de avaliar as respostas dos colegas, ainda tenho de me auto-avaliar, cresço ainda mais, porque posso olhar para o que fiz em perspectiva, e me julgar com as mesmas lentes que os estou julgando (tanto quanto possível, estou tentando seguir esta linha).

Este processo todo está me fazendo ler e escrever mais, além de ser mais criteriosa com minhas respostas. Penso, releio, reviso. Eventualmente mais de duas vezes, porque como o curso é em inglês ainda tenho a insegurança da língua mordendo meus calcanhares, me fazendo passar checagem por erros ortográficos e frases sem sentido.

Como uma parte interessante da tarefa de escrever um projeto de TCC está justamente em ser capaz de sintetizar ideias, argumentar, escrever;  ler um bocado; revisar; e, ao longo do projeto e no fim dele, avaliar crítica e objetivamente resultados (com isso, quero dizer, ser imparcial nesta avaliação), penso que está sendo um aprendizado muito útil para a jornada que estou empreendendo, para além do ponto direto de ser um tema que quero abordar na solução que for apresentar, em si.

(As avaliações – e os posts no blog – me fazem ver, também, o quanto sou prolixa na hora de escrever. Boa parte dos trabalhos que leio conseguem ser muito mais sucintos e objetivos do que eu. Preciso melhorar muito neste ponto.)