Preparativos para a 1ª rodada de testes de usabilidade

Após o choque inicial de não ter reservado tempo suficiente para os testes de usabilidade, e estar com tarefas atrasadas, consegui me recuperar, reorganizar o cronograma e fazer uma lista com cerca de 20 pessoas que acredito que podem dispor de uma hora para participar dos testes de usabilidade.

Foquei principalmente em amigos e colegas de trabalho, e busquei situações em que pudesse tê-los todos juntos, para evitar gastar muito tempo entre cada teste. Estou planejando fazer 10 testes em cada rodada, mantendo, entre a primeira e a segunda, 5 pessoas, para ter uma noção de como quem usou antes das melhorias sente a segunda versão.

O ideal para testes de usabilidade é definir um perfil de usuário. Eu levantei as informações que tinha, das pesquisa de mercado que fizemos para o fazDelivery, a respeito disso. Idealmente seriam pessoas entre 25 e 44 anos, que morem sozinhas ou com companheir@, mas não tenham filhos. Entretanto, como alguns autores consideram que o conjunto e variedade das tarefas escolhidas são mais importantes do que a quantidade/ perfil de usuários, e os recursos desse projeto são limitados, o perfil original, pensado para equivaler ao público early adopter do fazDelivery, não está sendo seguido à risca.

Testes de usabilidade

Eu havia, por alguma razão, separado apenas um dia para cada rodada de testes de usabilidade. Parando pra planejar o roteiro dessas atividades, especialmente depois das avaliações heurísticas, ficou muito claro pra mim que isso não iria funcionar, porque eu preciso estar completamente dedicada a cada pessoa, uma por vez, e não necessariamente conseguirei reunir todas elas em um só lugar etc. E eu preciso testar o fazDelivery com pelo menos 5 pessoas de cada perfil que eu definir, idealmente. E o mínimo de perfis que consigo pensar são dois: que já usaram o fazDelivery e que nunca usaram. Então, 10 testes, com 10 pessoas, em cada rodada.

Gastei, então, um tempo ontem revendo o cronograma para encaixar essa mudança. Também pensando quem seriam as pessoas. E vendo o esboço/conteúdo do roteiro dos testes. Amanhoje vou dividir melhor quem acredito que pode/deve ficar em cada grupo e sessão, e dispararei os convites.

Espero que tudo corra bem. Estou com um atraso de uma semana e isso está me assustando um pouco.

Atrasos e percepções

Olhando o trello, noto que minha situação está mais apertada do que tinha me dado conta no sábado. Acho que estou com uma semana inteira de atraso, não planejei bem como iam ser as coisas durante as avaliações heurísticas nem fiz um cronograma muito à prova de furos no fim de semana. Ok, ainda consigo lidar, é ótimo conseguir ver no detalhe o que está errado e faltando, e onde.

Mesmo com outras tarefas em aberto, hoje preciso focar em definir perfil para os usuários que farão parte da primeira rodada de testes e convidá-los, para isso não ficar muito em cima. Precisarei fazer um balanço entre pessoas com o perfil previsto para o público do fazDelivery e pessoas que eu consiga acessar mais facilmente, senão posso ter muitas dificuldades com essa etapa, porque, diferentemente das avaliações heurísticas, eu não gostaria de fazê-la remotamente, então terei de, talvez, ir atrás das pessoas. Ou, bem, montar um esquema de acompanhar a tela das pessoas, mesmo, e paciência.

Para os testes de usuário Nielsen e outros sugerem pelo menos 5 representantes de cada perfil de público alvo. Isso me faz pensar que precisarei de umas 15 pessoas para essa rodada. Pensar em um número desses me dá um pouco de medo, primeiro porque não sei se encontro tantas pessoas disponíveis, segundo porque isso indica o tempo para concluir essa etapa será meio longo, e de uma forma que não tenho muito como controlar.

Mas, paciência, demorar não vai tornar nada mais fácil, e ainda pode impossibilitar completamente algumas atividades.

Refinamento de Objetivos Geral e Específico

Hoje (ontem) fiz a primeira versão de meu capítulo sobre a metodologia de inspeção e melhoria de usabilidade utilizada no projeto. Como o orientador sugeriu que eu desse mais destaque a ela no trabalho, pareceu-me adequado inserir um espaço para explicá-la melhor. O capítulo por enquanto só tem uma página, mas não pretendo que seja grande, só quero realmente conseguir apresentar a metodologia híbrida a partir da figura que criei para ilustrá-la.

Avancei um pouco na questão dos objetivos. Creio que o geral, principalmente, ainda precisa ser melhor trabalhado. Por enquanto, sua nova versão está assim:

Aplicar heurísticas e boas práticas propostas para a usabilidade de engenhos de busca a uma ferramenta de busca vertical do tipo diretório (ou catálogo), visando a uma IHC mais satisfatória e eficiente, tendo como base a definição de Nielsen (2012) de tais termos. A metodologia de inspeção de interfaces proposta e as melhorias propostas serão aplicadas e testadas no fazDelivery, um buscador geolocalizado de serviços de delivery de Salvador.

Os específicos não mudaram muito dos que apareceram na apresentação final de TCC I. Aproveitei que mexi nos objetivos e já os coloquei na apresentação no Prezi, para ir mantendo-a atualizada e ir lhe dando forma, aos poucos.

Ainda estou devendo revisar a distribuição de tarefas no cronograma, mas estou focando nessas atividades porque me coloquei uma entrega para esta sexta, dia 04/04, e preciso avançar para conseguir alcançar esta meta…

Passinhos de formiga… v1 Cronograma feita

Ok, encaixei as atividades que quebrei dentro dos marcos da disciplina de TCC II, até as datas de banca e entrega da versão final. No processo, pra variar, percebi que algumas poucas coisas tinham ficado de fora, então houve mais detalhamentos e atividades.

Mas acho que ficou meio desequilibrado, intervalos grandes no início e tudo meio atropelado no fim. Amanhoje irei revisar, com a cabeça descansada e buscando uma visão mais global da coisa. E aí tentar rebalancear, avaliando melhor a carga de trabalho das atividades, também.

É isso. Muito trabalho a ser feito. Sentindo-me um tanto angustiada, mas mais focada e menos perdida. Por incrível que pareça.

Alinhando e andando e buscando orientação

Hoje fui encontrar EJ para nos alinharmos. Ele me passou um modelo de relatório de usabilidade, e enquanto conversávamos fui lembrando coisas (tarefas, detalhamentos) que precisavam estar presentes no Trello. Consegui acrescentar tais coisas, mas não cheguei a terminar a tarefa de colocar datas em todas as atividades que precisam ser feitas. Preciso respirar um pouco mais no assunto para conseguir visualizar o que cabe onde, e como…

Que título horrível. É o que dá fazer as coisas com sono. O cérebro já não funciona tão bem.

Cronograma, Tarefas detalhadas e Reflexões sobre Metodologia (na prática e para a escrita)

Hoje coloquei no Trello as atividades que creio que faltam para concluir o TCC. Comecei colocando as atividades mais cruciais, do core, mas agora terminei por acrescentar algumas que são mais “burocráticas”. Quer dizer, que precisarão ser feitas, mas têm mais a ver com logística do que com conteúdo – como imprimir e entregar versões pra banca, entregar versão final em DVD, coisas assim.

Foi uma atividade interessante porque, por um lado, me deu a sensação de que de fato, hoje, já tenho uma percepção mais clara de quais os passos práticos para concluir o projeto e, por outro, porque me ajudou a lembrar ou levantar alguns detalhes, pensar subtarefas, coisas assim. Agora preciso encaixar essas atividades no cronograma da disciplina, que quero encurtar, pra evitar ter de trabalhar no TCC em junho (copa + fim de contrato de estágio) e para ter uma margem de manobra, caso ocorra algo que me impeça de apresentar no início de junho.

Uma das coisas que percebi quebrando as atividades foi que não sei se o modo como estruturei os capítulos finais da monografia (a parte de projeto e resultados) não ficarão muito quebrados ou misturados, com a metodologia que defini (vide a figura abaixo), porque não existe uma etapa “única” de construção da nova interface do fazDelivery, nem um único momento de testes.

Metodologia - prática

Metodologia para avaliação e melhoria do fazDelivery. Fonte: Reichow J., 2013.

Essa metodologia, desse modo como foi pensada, não permite fazer uma avaliação anterior da interface do fazDelivery (para fins de comparação), porque não “expõe” os usuários à interface original em momento algum… Preciso perguntar para os orientadores se isso é grave. Por um lado entendo que fica meio incompleta a comparação, mas, por outro, como Hearsti (ou Nielsen?) indicam, o melhor é fazer um processo de melhoria híbrido, e como não é simples conseguir usuários para realizar os testes, primeiro se deve realmente fazer uma avaliação heurística e primeira etapa de correções, antes de fazer testes de usabilidade (o que inviabiliza a comparação dos usuários com a interface original)…

Bom, por hoje é isso. Amanhã sem falta preciso casar tarefas e cronograma mais geral e ver quão grave é a situação temporal…

EDIT: estava pensando. Talvez uma forma mínima de realizar um comparativo seja pedir para pelo menos uma pessoa utilizar as quatro interfaces do fazDelivery e comparar seus resultados, mais para efeito ilustrativo, mesmo…

46 dias: atrasos

Atrasados:

  • referencial teórico;
  • trabalhos relacionados;
  • requisitos funcionais e não funcionais;
  • arquitetura (a princípio estava em dúvida sobre o que faria aqui, mas creio que posso descrever a arquitetura do fazDelivery e indicar onde meu trabalho se insere).

O que farei hoje:

  • baixar contador do tipo Pomodoro – Bruno disse que tem sido muito útil pra ele e meu principal problema é manter foco, então, vamos nessa – 15 minutos (contando colocar tarefas nele);
  • recarregar as variáveis (é vergonhoso ter de dizer isso, mas agora não é o momento de perder com autopiedade): ler antoprojeto e embrião da monografia – 1 pomodoro (contando possíveis anotações que surjam, mas nada de execuções);
  • criar um novo índice – creio que me basearei muito no que fiz pra apresentação, então 1 pomodoro;
  • escrever página descrevendo cada tópico do índice – sendo uma pequena frase, se fizer focada, creio que 1 pomodoro dê;
  • rever cronograma – ver o que estava no anteprojeto, mais as datas de TCC II (e I) – 1 pomodoro;
  • entrar em contato com orientadores e orientadora – 1 pomodoro.

Isso dá: 5 pomodoros e meio. Cada pomodoro tem 25 minutos, mais 5 minutos de intervalo curto e um intervalo de 30 minutos a cada 4 pomodoros, ou seja: isso daria 3 horas de trabalho focado. Contando que estou no processo, já, terminaria antes das 15 h. Talvez almoce no meio do caminho. Anyway, o plano inicial é: fazer esses, e então planejar quais serão as atividades seguintes. Se eu não for pra natação hoje, dá pra trabalhar até 21:00, 22:00, o que seriam mais no mínimo 5 horas de trabalho, o que dá 8 pomodoros. Confere? Let’s get going.

56 dias: metas atrasadas.

De acordo com o cronograma que tentei fazer, hoje e amanhã eu deveria focar em trabalhos relacionados. No entanto, ainda estou longe de terminar o referencial teórico…

Há alguns artigos do Nielsen que me parecem interessantes, mas que preciso avaliar quanto de fato poderão agregar ao TCC, para decidir se os leio agora ou não. Pensei em fazer uma priorização, mas não sei se farei algo de fato ou só os deixo para outra ocasião, tenho a sensação de que o TCC parecerá “pobre” se citar muitos artigos online desse tipo…

Outro dia sem render praticamente nada. Não posso fazer isso. >.<‘

Confesso: por incrível que pareça, estou perdida entre as leituras.

60 dias: pouco e muito tempo

Fui encontrar João Rocha, co-orientador, para pegar assinatura dele pro anteprojeto. Amanhã o entrego a Marco (professor de TCC I) e essa etapa (que deveria ser inicial e já deveria ter terminado há eras, visto que estou fazendo as duas disciplinas ao mesmo tempo) finalmente se encerra.

Não consegui fazer mais muita coisa hoje, mas sentei para pensar o cronograma diário, que estou devendo para Trícia desde dia 14, já (ao menos, foi nesse dia que ela me falou dele). A próxima entrega (estou em verdade com uma atrasada, a deste último sábado) é agora dia 2 de outubro.  Consigo pensar razoavelmente bem (sem muito detalhamento diário) o que preciso fazer até lá. E consigo pensar – cara, é pouco tempo, preciso render perfeitamente ou não irei conseguir.

Mas daí em diante – quando deixo de ter um prazo de ~1 semana e passa a ser pouco mais de 1 mês, já me perco. Sei de algumas coisas que preciso fazer – imagino que terei de fazer no período -, entretanto, como aumentar a granularidade, quebrar isso em tarefas diárias? Além de falta de prática, acho que o outro problema é pouco embasamento – ainda! A data mais apertada é justamente a do Referencial Teórico, e estou muito atrasada nas leituras…

Estou fazendo em parte no papel, em parte no Google Agenda. Eis o que saiu, até o momento:

cronograma!

Entregas, prazos, atividades.

Corre e foca, Juliana… >.<