[Andamento] Soluções para os Problemas Identificados

Primeiro, uma observação: a palavra que passei os últimos dias tentando lembrar (até ontem, anyways), para descrever o que sinto que faltou na condução da etapa prática do TCC é… rigor. Sinto que fui pouco rigorosa, principalmente na etapa de testes de usuários como um todo. Tinha pouca (quase nenhuma) experiência prática nesse quesito, e ainda assim planejei e conduzi tudo muito sozinha, o que também não ajudou. =/
No último capítulo, comentei que estava em dúvida entre prototipar ou implementar as soluções pensadas para os problemas. Pedi orientação sobre isso para orientadores e alguns amigos. João Rocha disse que preferia que eu implementasse e fizesse os testes com usuários; EJ sugere que eu faça apenas prototipação e comparação das duas interfaces (porque implementar em si pode trazer complicações extras, erros etc, que tirariam o foco no projeto). Entendo e consigo concordar com os dois pontos de vista. Fazer a implementação mais testes deixaria o projeto mais completo, porque teria seguido todas as etapas previstas pela metodologia que eu mesma apresentei. Mas isso reduz meu tempo de trabalho na prototipação em si, o que também tira qualidade do projeto. Então estava meio “dilemética”.
Ontem então pensei em um meio termo assim:
  • v-1.0: corrigir coisas em protótipo. Possível abordagem mista: selecionar os 10 problemas mais prioritários das avaliações heurísticas, mais os problemas dos testes de usuários. Corrigir.
  • v-1.1: Tendo tempo, implementar e testar;
  • v-2.0: sobrando tempo: corrigir em protótipo demais violações de heurísticas.

Está se encaminhando para eu conseguir fazer a v-1.0. Hoje terminei de descrever como três ferramentas correlatas abordam aspectos considerados problemáticos no fazDelivery. A tabela abaixo mostra uma parte dessa listagem (os Ids servem para identificar a que problema cada linha da tabela se refere – ok, sei que está ruim visualizá-la). Hoje, então, parto pra selecionar as soluções que de fato usarei e prototipá-las…

Excerto do levantamento de soluções correlatas.

Excerto do levantamento de soluções correlatas.

Redução de Escopo, Priorização, Correção, ou Priorização, Correção, Redução de Escopo?

Não é um jogo de palavras, tampouco um trava línguas. Ao menos, não só. Mas tenho de pensar rápido, para que não se torne outro trava-tcc. Qual a questão? Eu decidi que irei realizar as melhorias em apenas uma tela do sistema, que seria escolhida a partir do levantamento da quantidade de problemas por interfaces (tendo como base os resultados das avaliações heurísticas).

Certo. Acabo de fazer esse levantamento. Confirmando minha intuição inicial (no anteprojeto, o escopo do trabalho era esse), a Página de Resultados concentra o maior número de problemas. Somando todos os problemas encontrados e dividindo a quantidade de problemas encontrados em cada tela pelo total (esse racional faz sentido? parece-me que sim), a Página de Resultados (~44% dos erros encontrados) tem quase 15% mais problemas do que o Portfólio (~29% dos erros), segunda interface com mais problemas. Está decidido que focarei nela para a correção dos erros.

Mas, o que faço com as outras interfaces? Não posso abandoná-las de todo, ou corro o risco de continuar com problemas que impeçam os usuários de seguir o fluxo dos testes. Parece-me que o razoável aqui será observar erros que fazem o sistema quebrar (por exemplo, erro na busca de endereço), até que chegue à página de resultados, ou seja, erros graves na Página Inicial (~15% dos erros). Ok, creio que consigo me sentir tranquila com esse caminho…

Falta fazer amanhã (lol, o dia tem 36 horas? 56? Acho que vou precisar):

  • definir erros a corrigir;
  • corrigi-los;
  • formular e construir questionário de entrada;
  • formular e construir questionário de saída dos testes de usuário;
  • formular roteiro do teste;
  • testar roteiro;
  • verificar se precisarei instalar alguma ferramenta na máquina;
  • decidir se usarei Windows ou Linux.

Amanhã é um grande dia. Sábado também. Talvez todos, acho, daqui até o fim dessa jornada…

Eureka – Escopo, escopo, escopo! – Reduzir para conquistar

Então eu continuo travada, como os últimos episódios da novela já contaram, na compilação dos problemas da avaliação heurística. Eu já havia pensado que precisava, além de priorizar os problemas, filtrá-los, para saber o que faz parte do escopo do projeto ou não. Quando comecei a fazer essa atividade, me dei conta de que, logo no início, eu havia me planejado para trabalhar apenas com a tela de listagem de resultados – que é conhecida como SERP – Search Engine Results Page, porque tinha uma sensação de que era o ponto do sistema que mais concentrava problemas.

Em algum ponto no meio do projeto isso saiu de meu foco, creio que porque decidi que valia a pena considerar o sistema como um todo, para posteriormente, a partir dos resultados das avaliações, decidir o ponto mais interessante a atacar. E, agora, na medida em que percorria a longa lista de problemas, me parece o momento ideal para voltar a essa ideia. Então, vou aproveitar que destaquei os pontos do sistema que apresentavam cada problema para avaliar qual tela está mais crítica e elegê-la para meu estudo de caso.

Além disso, enquanto escrevia também me lembrei que o principal da avaliação heurística ser feita antes dos testes de usabilidade é evitar que os usuários se deparem com muitos erros, que poderiam atrapalhar o andamento e o propósito original dos testes. Então, posso nessa etapa focar em corrigir os erros que atrapalham o fluxo de uso e, posteriormente, quando for atacar a interface a partir dos feedbacks da primeira rodada de testes, atacar coisas mais sutis como organização de informações, espaçamento etc. Isso também me permite ganhar tempo para que as pessoas façam a classificação dos problemas, já que não preciso ter essa informação, necessariamente, para corrigir os erros mais graves, mas ainda poderei usufruir dos benefícios da classificação na fase de realmente propor melhorias para a interface. Além disso, definindo apenas uma tela, a listagem de problemas também se reduz… *-*

Que. Bom. Ter. Pensado. Nisso. /respira aliviada. Acho que finalmente vou desempacar. /o/

Acho que até consigo dormir, agora.