Inspirações: buscadores verticais, nuvens de termos e muitas cenouras para tod@s

No último encontro com o orientador, olhamos alguns sites de busca. Ficou como tarefa usá-los com mais calma, pesquisar outros e começar a rascunhar um protótipo, a partir do que fosse vendo e experimentando. Essa parte não avançou muito, mas a busca por interfaces inovadoras e relevantes para o usuário trouxe resultados (como vou fugir desses trocadilhos? >.<‘) diferente, bacanas, animadores (se você está com pressa, fique com os tópicos sobre o Quintura e o Carrot²):

  • Quintura – mostrado por EJ. Apresenta-se como um buscador visual. Exibe uma nuvem de termos sugeridos (eles chamam de search cloud), baseados no contexto presumido da consulta feita, que podem ser usado para refazer e melhorar a busca.
Listagem de resultados do Quintura e sua patenteada visualização de termos relacionados.

Listagem de resultados do Quintura e sua patenteada visualização de termos relacionados.

MyTaptu. Aqui, com notícias do The Guardian. A disposição das listas dá um favoritos legal.

  • Pulse – focado em dispositivos móveis, possibilita que a pessoa cria listas personalizadas de sites para receber atualizações. Veio parar aqui porque achei interessante a questão da visualização das listas, no contexto reduzido da tela do smartphone / tablet. Como tenho interesse em melhorar a UX do fazDelivery, e temos versão mobile, é uma fonte bacana.
  • (My)Taptu – (esse ao lado) eram um buscador mobile, mas preferiram seguir uma linha diferente para evitar a intensa concorrência. Transformaram-se em um feed de notícias personalizado. Por motivos similares aos do Pulse, considerei-os uma referência válida, para agora ou logo mais.
  • Yummly é um buscador para receitas culinárias. Oferece vários filtros relacionados, explorando diferentes interações. Ouvi opiniões de que fica muito carregado, com informações demais, mas para quem gosta de filtros de resultados ou de cozinhar, vale conhecer.
Toooodos os filtros de resultados do Yummly.

Toooodos os filtros de resultados do Yummly.

  • E agora eu chego a la cràme de la cràme. O Carrot² é um motor de busca open source  para agrupar de resultados. Quem me indicou foi o João Rocha, professor da UEFS e consultor na área de Bancos de Dados e Buscas. Como outros, buscadores, este oferece eixos temáticos para contextualizar a consulta. Mas sua mágica de interação está quando os resultados aparecem. Além da listagem, há um menu à esquerda que organiza o conjunto encontrado de acordo com algumas palavras chave comuns ao domínio pesquisado (essa é minha inferência, não o estudei a fundo): pode-se ver uma árvores de pastas, como num explorer convencional; vê-las em um círculo que mostra segmentos de tamanho e cor variados de acordo com o termo; ou ver uma estrutura que eles chamam de foam tree, ao pé da letra, árvore de espuma (a mim lembra um casco de tartaruga, também) – cada conjunto de termos relevante listado por eles vira uma “bolha” no conjunto, com tamanho relacionado à quantidade de resultados agregados sob aquele termo. Coisas que encantaram:
    • essas variações, meio interativas, coloridas e bem feitas, são lúdicas, então levam a pessoa que está pesquisando a passar mais tempo “brincando” com os resultados;
    • além de bonitinhas, elas são úteis, porque de fato são filtros, também, e ajudam a trazer à luz elementos talvez desconhecidos no momento da pesquisa, através dos termos que agrupam. É uma ideia parecida com a do Quintura, mas implementada com muito mais eficiência, baseada na experiência que tive com ambos. Entendo agora, pensando melhor no assunto, que ambos criam filtros dinâmicos, a partir do contexto da busca.
    • O resultado dessa interface diferente é que o Carrot² realmente me ajudou a achar um termo que me parece ter muito a ver com a área do projeto, mas que ainda não tinha encontrado nas outras pesquisas que fiz. E isso porque fiquei mexendo nas bolhas e no círculo e com isso fui, por tabela, explorando termos relacionados ao contexto da consulta que fiz (“innovative human computer interfaces search”). A conclusão é que trouxe algo que evoluiu o entendimento de meu trabalho, e, de quebra, ajudou a comprovar que uma boa forma de visualizar e filtrar a informação pode fazer toda a diferença na hora de encontrar itens relevantes para o usuário.
A visualização em "foam tree" do Carrot².

A foam tree do Carrot². Vou deixá-l@s na curiosidade das outras visualizações, para que o visitem.

Pra fechar: o que encontrei foi a área/ termo “Human-computer Information Retrieval“, que abrange pesquisas e trabalhos que trazem a inteligência humana para o processo de busca. Será que tem a ver? Acompanhem esta emocionante descoberta nas cenas dos próximos capítulos!

Dicas de Usabilidade – O usuário está bêbado

Nah, na verdade não. Mas alguns traços do comportamentos de uma pessoa bêbada, se levados em conta, podem nos ajudar a construir uma experiência de usuári@ melhor.

Com vocês… The user is drunk:

Do the internet better. 😉