é amanhã ‘-‘

às oito da manhã

estou nervosa

>.<‘

Protótipos de produtos da Apple, dos anos 80

Cool stuff:

http://www.theverge.com/2014/5/28/5757414/apple-prototype-tablets-phones-laptops-from-the-80s-photos

Protótipos são tão legais! *_*

Da série: leituras interessantes não feitas

Mais coisas do Nielsen que eu gostaria de ler um dia:

http://www.nngroup.com/articles/unmoderated-user-testing-tools/

Sobre a necessidade de testes de usuário

E o rigor de sua execução.

Encontrei esse artigo sobre isso: http://www.lits.dei.uminho.pt/tu.pdf

Quero ler, acho que é interessante também pelas dificuldades que tive com essa etapa.

Dias mais de descanso…

Corretor ortográfico pra LaTeX

Para não perder o costume: para evitar enviar a monografia com erros grotescos de ortografia, fui em busca de uma ferramenta que me permitisse revisar o arquivo em pdf. Acabei encontrando o Aspell, que faz a correção no arquivo .tex

Eu o instalei através do bom e velho apt-get e depois procurei um dicionário, para rodar a verificação para o português (o padrão é o inglês, então você precisa baixar dicionários específicos, se quiser corrigir outra língua). Para instalar o Aspell com o apt-get (não lembro se precisei adicionar algum repositório específico, malz):

sudo apt-get install aspell

Uma vez baixado e instalado o dicionário de português (que tem instruções bem tranquilas de seguir em seu readme), só precisei rodar no terminal:

aspell --lang=pt_BR --master=pt_BR --mode=tex -c Arquivo-pra-revisar.tex

Ah, acabo de ler  que dá pra instalar dicionários específicos também pelo apt-get. Fique a vontade pra tentar. o/

Ele vai mostrando cada palavra que não reconhece, e permitindo fazer uma verificação muito simpática, só usando o teclado, dá pra ignorar ou adicionar palavras, além de outras opções, simples e prático, tipo de coisa que gosto. Não testei, mas acredito que poderia ter informado mais de uma linguagem e checar logo inglês e português de uma vez só. Talvez haja ferramentas com GUI, ou haja como incorporar o Aspell direto no Kile, mas pra mim assim já tá ótimo. ^.^

Pra ser justa: achei sobre o Aspell nesse post: http://www.physics.usyd.edu.au/guides/spell-grammar-latex.html

90% são só 50%. E – Hello, world!

Sábado de manhã (07 de junho) rolou a “pré-banca”. Vai assim entre áspas porque foi bem informal, e como não sei como costuma ser, me dá a sensação de que não foi uma pré-banca lá muito convencional. Mas foi o que o eu precisava, no momento, e serviu para eu apresentar a Eduardo Jorge a estrutura da apresentação que quero fazer, discutindo os conteúdos que quero trazer em cada etapa, recebendo feedbacks para cada parte. Também foi o momento de ele ver os protótipos resultantes do trabalho, dos quais ele gostou. Essas duas coisas (discutir a apresentação e ele gostar dos protótipos), aliadas ao fato de que, mais cedo, havia enviado uma versão final da monografia para ele, João e Alexandre Lenz, professor convidado para a banca, me deixaram muito tranquila, com a sensação de que… acabou. Pois é. Assim. Antes mesmo da banca. O_o

É que a banca estava marcada para o dia 13 de junho, próxima sexta, e isso me fez dar uma corrida louca na última semana (especialmente de terça até sábado), para garantir que teria um v1 de tudo até sexta passada, para cumprir o cronograma. Só que sábado, quando cheguei, exausta, à UNEB, descobri que as atividades acadêmicas só voltariam depois do São João (ou seja, dia 25), ficando portanto impossível apresentar a banca dia 13. AAAAAAAAAAaarrrrrrrrrrrrrrgh. Me dá meu alívio de terminar logo esse negócio!! D: Dá! Não dá?! Hm… Vamos pensar de novo. Eu entreguei a monografia na correria alolka, quase que vai com erros de digitação como sesção no meio. Me esforcei para incorporar as sugestões de João e Eduardo, mas havia deixado pelo menos uma coisa mais importante de fora. E tinha feito a conclusão quase nos últimos minutos da prorrogação do segundo tempo – nem reli a bichinha, pedi pra mãe fazer isso, porque eu não tinha qualquer condição de entender leituras, mais, depois de virar todas as noites desde terça.

Isso significava que as chances de haver trechos muito ruins de compreender e carentes de uma reescrita eram grandes, e que uma boa revisão, com calma, cairia bem ao trabalho. Então, por que não aproveitar esse tempinho a mais, e fechar essa etapa com mais tranquilidade? Afinal, não foi pra isso que quis adiantar o calendário, em primeiro lugar? Beleza, então. Vamos ver o que eu gostaria de fazer pra considerar essa v1 concluída de forma mais bonita, e fazer. Sem perder a sensação de que, sim, consegui – conclui esse negócio, fui capaz, e agora posso começar a me sentir livre para começar uma nova etapa, ir atrás de outros desafios… *_*

Foi bacana. =)

Enquanto não acaba por completo, alguns comentários variados:

Sobre estar terminando algo – li n’A arte cavalheiresca do arqueiro zen:

A quem deve caminhar cem milhas, recomendamos que considere noventa como sendo a metade.

Herrigel Eugen

Isso pra mim fala tanto de como costumamos errar quando tentamos prever o esforço necessário para terminar algo, como também tenta explicar como qualquer etapa final tende a ser tão ou mais trabalhosa do que todo o resto de um percurso – há detalhes, finalizações, polimentos… E todo o cansaço acumulado da jornada já percorrida. Eu senti um tanto isso. Ainda que considere que tenha, no fim das contas, doído menos do que imaginei que poderia (fico feliz com isso!).

Para conseguir o pique necessário pra enfrentar as madrugadas da semana passada, primeira, segunda, terceira, quarta noites, criei uma playlist no Grooveshark (uma plataforma para ouvir músicas com características de rede social) com clássicos da época em que virávamos noite no ACSO fazendo trabalhos de faculdade ou mexendo em coisas dos robôs. Adicionei algumas músicas que me faziam pensar no que poderia finalmente fazer quando terminasse esse processo todo, chacoalhei, coloquei tudo no repeat e segui, com cara, coragem, saudade e muito café. Como curti o que fiz com a lista de músicas, compartilho aqui:

3, 2, 1 – let’s jam: it’s the final countdown… Under pressure, eu faço tcc até mais tarde e tenho muito sono de manhã… Mas amanhã de manhã, quando a gente acordar, quero te dizer que a felicidade vai desabar sobre os homens. Porque estamos, meu bem, por um triz pro dia nascer feliz and I want to break free… Woo hoo! /o/

Foram momentos divertidos. Haha. Gosto do silêncio e da calma das madrugadas, e ver o dia nascer é algo legal – dá uma vontade doida de pegar a bike e sair pedalando pra ver o nascer do sol. Acho que farei isso em breve.

Agora o corpo acostumou um tanto, está meio difícil dormir cedo, e quero continuar “trabalhando” no TCC. Vai entender…. rsrs.

Por agora é só, pessoal. Mas acabou sem acabar, e como não quero dar uma de Oberyn Martell, vou continuar mexendo nesse negócio até fechar tudo, porque tenho até sexta pra entregar a versão final (de novo!), e dia 27, oito da manhã, essa banca sai. E não quero virar mais nenhuma noite fazendo isso, até lá…

AH! O título do post é porque… CAAaaaaaaaaaarai!!!! De volta à vida! Origami-bike-filme-amigos-praia-livros-viagem-tecido-natação-cuidar-da-casa-cortar-cabelo-trabalhar-conversar-dormir-curtir-fazer-arte sem culpa: aí vou eu!! \o/

Prototipando SERP e Document Surrogate

Passei os últimos… Dois dias? Talvez isso, talvez três, me sentindo meio empacada na Página de Resultados. Me sentia andando em círculos, ou desfocada, ou perdida, ou tudo junto. Cheguei a rascunhar:

Acho que… mexer no html direto às vezes faz perder o tempo e me desfoca. É possível que isso seja porque desvio de planejamentos, e fico apenas experimentando, sem metas claras. Os objetivos precisam ser claros, do contrário dá pra passar muito tempo mexendo semi aleatoriamente em interfaces e elementos =x

Ontem ficou evidente que eu precisava mudar alguma coisa na abordagem, pois o tempo está se esgotando e preciso ter alguma versão da Página de Resultados. Uma versão meia-boca me ajuda, pois posso prosseguir com as outras atividades e terminar o TCC em tempo. Nenhuma versão me leva a lugar algum e coloca em risco meu cronograma, de modo perigoso. Então decidi tentar escrever não apenas as correções que queria fazer, mas o meu objetivo pra página, ou tudo o que queria fazer nela, e em que ordem fazer, e quando usaria que ferramenta – para evitar, como comentei acima, ficar vagando pelo HTML.

Isso de algum modo ajudou. Ainda gastei um tempo danado, e me enrosquei um bocado até conseguir perceber que estava avançando. Mas, no processo, me dei conta de outra coisa que também deveria estar influenciando minha dificuldade com essa etapa e essa página – de algum modo, acho que sinto que essa é a culminância da parte prática do projeto.

O que me fez querer trabalhar com a usabilidade do fazDelivery foi justamente a página de resultados da ferramenta. Os itens de resultado espalhados etc, me incomodavam e eu queria mexer naquilo. E então trouxe isso para o TCC e desde o anteprojeto indiquei que o objetivo principal seria melhorar a SERP do FD. Então entrei de fato nas etapas do projeto, fui seguir os passos formais de resolver problemas de interfaces e muitos meses se passaram. rs. Referencial Teórico, Planejamentos, Adaptações, Cronogramas, Reduções de Escopo, Sessões de Avaliação Heurística, de Testes com Usuários, compilar todos os dados que daí surgem, ver os problemas que as pessoas apontaram (ao invés de sair mexendo a partir do que eu gostaria), mais reduções de escopo… E tudo isso “de repente” finalmente me leva para o que eu queria fazer lá atrás.

Ufa, ok, então, que houvesse tanta ansiedade no resultado dessa tarefa específica… Tudo isso só aconteceu porque queria fazer algo legal aqui. rsrs. Bueno, ao menos me sinto aliviada porque consegui ultrapassar as barreiras e entender quais eram, e elas faziam sentido.

Post its, ativar! Como ter uma comparação "rápida e simples" de posições de elementos de vários sites.

Post its, ativar! Como ter uma comparação “rápida e simples” de posições de elementos de vários sites.

E o que saiu daí? Fiz duas versões de Item de Resultado (Document Surrogate), tentando separar as informações do estabelecimento das informações do produto, deixando o item como um todo mais compacto e tentando dar mais destaque para algumas informações (além de tirar algumas coisas que pareceram não estar fazendo muita diferença, nos testes com usuários).

Tenho uma versão semi-pronta da página de resultados, que estava esperando ter resultados para irem nela. Fiz análises do Google, GuiaMais, iFood e TeleListas, para comparar onde posicionavam a opção de refinamento de busca (e como a apresentavam), além de quantos resultados exibiam antes da dobra (above the fold), e como estavam centralizados na tela. Usei isso para basear minhas definições de novo layout da SERP do fazDelivery, sempre colocando como restrição pra mim que eu focaria em trabalhar com os elementos já existentes, evitando criar funcionalidades ou elementos novos, e me guiando pelos resultados das avaliações heurísticas, testes com usuários e priorização de problemas que decidi.

Agora preciso encaixar a Busca Avançada na Página de Resultados, resolver Botão de Voltar ou Breadcrumbs – em suma, oferecer uma solução de Controle de Navegação -, e creio que a SERP estará pronta. Aí fica faltando a Página de Listagem de Categorias, na qual já dei uma pensada, e que será mais simples, uma vez que o item de resultado já está pronto.

Bueno! É isso! Vou dormir e voltar pra terminar essa parte. Ainda há um tanto razoável de coisas a fazer e depois precisarei descrever tudo mais formalmente, na mono. E ainda tenho de revisar tudo.

Woooo!

Estamos, meu bem, por um triz para o dia nascer feliz.

Tirando Screenshots Mostrando o Cursor do Mouse

Nessa etapa de prototipação estou tirando um monte de screenshots. Eles servem tanto de registro de como é a interface atual do fazDelivery, para eu comparar depois, como de base para as mudanças que estou pensando – já que, como comentei, não estou refazendo as telas do sistema do zero.

No geral, uso o plugin do Awesome Screenshot no Chrome para screenshots de sites, mas o fato de não ter como capturar o cursor começou a atrapalhar, pois eu queria capturar alguns resultados de interação com o mouse…

Pesquisei um pouco e encontrei o Shutter. O programa tem configurações para mostrar o cursor do mouse, e também para definir o atraso entre pedir pra tirar o screenshot e de fato tirá-lo. Assim, depois que você escolhe qual janela a registrar, dá tempo de ir até ela e executar alguma ação, pra capturar o que aparece com a interação do mouse. Neat! Do that again!

[Prototipação] Etapa 1: executando soluções para as violações de heurísticas. Reflexões sobre processo de prototipação

/*

Primeiro, um comentário: muitas vezes me perco, no processo do TCC, porque, ao invés de ver os passos de uma determinada tarefa ou etapa e segui-los à risca, sem pensar muito, começo a inventar firulas, ou tergiversar, ou, ou… e de repente me perco, ou faço mais do que preciso e menos do que devia, ou gastei um tempo danado fazendo coisas complicadas, sem alcançar o objetivo simples. Tudo isso atrapalha um bocado, mas ainda tenho dificuldade de evitar. É um pouco como o processo de leitura, quando de repente se está procurando um monte de artigos que já não estão realmente ligados ao que devíamos fazer, porque vamos saltando daqui pra lá e depois acolá, e não nos damos conta de como estamos nos afastando do objetivo inicial…

*/

Para prototipar, estou usando:

  • experimentações no HTML e CSS da página, através da ferramenta para desenvolvedor do navegador (no Chrome, o atalho pra ela é F12);
  • retoques ou ajustes mais livres utilizando o GIMP, uma ferramenta para edição e manipulação de imagens, de código livre.

Essa abordagem é porque não quero redesenhar a interface do zero, mas sim corrigir ou melhorar aspectos específicos. Se fosse fazer do zero, poderia utilizar ferramentas para criar primeiro protótipos em wire-frame e ir evoluindo a partir daí. Uma limitação que tenho é que não sei trabalhar com front end, ou seja, não tenho domínio de HTML e CSS, de modo que não consigo simplesmente abrir o código-fonte ou algum framework e sair editando tudo daí.

O que estou observando que deveria ter feito diferente, para essa fase de correção e prototipação – o ideal, parece-me agora, é:

  • pensar no conceito que se quer seguir;
  • ter a visão geral do todo – o que é preciso corrigir e onde, todas as correções para cada tela;
  • observar elementos que se repetirão em diferentes telas;
  • utilizar uma ferramenta que permita reaproveitar elementos – com camadas e elementos agrupados, por exemplo -, acredito que não terei problemas com isso no GIMP;
  • corrigir e prototipar a partir das peças menores, componentes, que se repetem em variados pontos do sistema;
  • executar a correção completa dos erros, por telas;
  • e, assim, ir realizando um trabalho de composição.

No momento isso parece um processo mais seguro para evitar retrabalho – por exemplo, eu não segui esses passos, até aqui, e estou mexendo em telas que listam itens de produtos, mas ainda não mexi nos produtos. Se e quando vier a mexer neles, precisarei alterar as telas novamente… O mesmo vale para a barra de busca, que aparece em várias telas (espero que essa seja mais simples de encaixar)… Mais grave ainda do que isso é que executei as correções para as violações de heurísticas e depois terei de fazer mudanças para as correções de testes de usuários, passando por telas em que já trabalhei.

Ah, amanhoje é: pensar e executar soluções para os problemas levantados nos testes de usuários. Ver se consigo seguir as etapas que falei acima. Daí precisarei gerar versões finais, fechadas, de cada tela, que agreguem as soluções das avaliações heurísticas e dos testes… Sim, idealmente, tudo no domingo.

Estou com sono e não revisei esse post. Um dia o releio e descubro barbaridades de escrita. Falta menos de uma semana para entregar a versão completa da monografia para a banca. /suspiro Eu vou sobreviver…

Roboto vs. Helvetica

Roboto vs. Helvetica

Estava procurando as diferenças entre as fontes Helvetica e Roboto, e encontrei essa imagem. Cool. =)

Serviu bem para o propósito – pude observar a face no fazDelivery e saber que definitivamente não é a Helvetica. Possível que seja realmente a Roboto, como algumas partes do CSS querem indicar…

Follow

Get every new post delivered to your Inbox.